Entenda a diferença entre sexo e sexualidade

Entenda a diferença entre sexo e sexualidade

27 de março de 2019 0 Por Coach de Sexualidade

Há muitos tabus que envolvem os termos “sexo” e “sexualidade”. De fato, muitas pessoas os compreendem como sinônimos, sem perceber a diferenciação entre eles. Isso acontece, pois pouco se fala sobre a profundidade de cada palavra, que traz consigo significados relacionados a questões íntimas dos seres humanos.

Embora essas palavras tenham o mesmo radical e comumente sejam mencionadas em conversas sobre a vida sexual, elas não têm o mesmo sentido. Existem diferenças que relacionam a sexualidade à personalidade e fatores psicológicos das pessoas; enquanto o sexo pode ser tratado como o ato de reprodução em si ou — em alguns casos — como sinônimo para gênero.

Neste artigo, falaremos sobre as diferenças existentes entre sexo e sexualidade. Se você está acostumado a entendê-los como semelhantes, continue a leitura para aprender as particularidades de cada termo!

O conceito de sexo

A população brasileira é bastante sexualizada, o que quer dizer que dificilmente você ficará em uma roda de amigos sem que aconteça uma piada ou um comentário de duplo sentido. Percebemos, por meio dessas brincadeiras, que a palavra “sexo” está presente no nosso dia a dia, inclusive pelo ato em si. Mas há muitos significados para ela.

Sexo está associado ao fator biológico. Trata-se dos conjuntos de particularidades que caracterizam os gêneros masculino e feminino. Não há, aqui, uma reflexão em torno da complexidade psicológica — ou seja, a forma como a pessoa se sente e se enxerga em relação ao seu gênero —, mas apenas a consideração da genitália com que nasceu: pênis (produção de espermatozoides) ou vagina (produção de óvulos). Se nasceu com o primeiro, é masculino; com o segundo, feminino.

É por isso que a palavra é muitas vezes utilizada como sinônimo para gênero. Quantas vezes você não respondeu a um formulário que solicitava para selecionar um dos quadrados na questão “sexo”: masculino ou feminino? Dessa forma, o termo é utilizado para representar a taxa populacional, separando a espécie humana em duas.

A palavra também está relacionada ao ato sexual. Ou seja, à atividade desenvolvida a partir dos órgãos sexuais. O ato, em si, independe de ser feito entre pessoas com genitálias diferentes ou semelhantes. Sexo, nesse sentido, não está relacionado ao gênero pelo qual a pessoa sente-se atraída, mas sim à prática biológica.

Percebe-se, portanto, que sexo está diretamente ligado a fatores da biologia do corpo. A complexidade psicológica que envolve a personalidade, a percepção de si e a atração está relacionada à sexualidade, conforme começaremos a explorar mais abaixo.

O conceito da sexualidade

Para conseguir diferenciar sexo e sexualidade, é preciso superar os tabus que envolvem o segundo termo. Por relacionar-se com a complexidade psicológica das pessoas, são várias as dificuldades para conseguir entender o que é exatamente “sexualidade”, e esse pode ser um dos motivos que levam as pessoas a igualarem o termo ao sexo, visando facilitar a compreensão.

A sexualidade nos faz entender que todos somos seres sexuais, desde o nascimento até o falecimento. Ou seja, crianças, adolescentes, adultos e idosos têm sexualidade e não podemos negá-la, pois é por meio dessa compreensão que podemos ensinar a maneira mais saudável de relacionar-se com ela.

Orientação sexual

Uma das formas de caracterizar a sexualidade está em como acontece a atração pelas pessoas, podendo ser:

  • heterossexual: quando a pessoa sente-se atraída pelo gênero oposto (homens por mulheres e vice-versa);
  • homossexual: quando sente-se atração pelo mesmo gênero (homens por homens e mulheres por mulheres);
  • bissexual: quando sente-se atração por ambos os gêneros;
  • assexual: quando não se sente atração por nenhum dos gêneros.

A orientação sexual não está relacionada a uma questão de escolha, mas sim a fatores genéticos. O consentimento ou a rejeição pessoal à própria sexualidade pode gerar diferentes traumas, por nem sempre encaixar em padrões que são predominantes na sociedade.

Por não ser uma questão de escolha, é incorreto relacionar-se a essa questão como “opção sexual”. A complexidade em torno da atração física é maior do que simplesmente escolher por determinado caminho, sem poder ser condicionada por repetição de comportamento, por exemplo.

A sexualidade, porém, não se limita na atração. A sua complexidade está associada a diferentes fatores da vida humana. Por ser tão abrangente, é difícil conseguir limitar o termo em apenas uma definição. Ela envolve também questões como a forma como a pessoa expressa os seus sentimentos em seus relacionamentos.

Sedução

De fato, o termo está integrado à personalidade de cada indivíduo. É a energia que motiva a busca pelo amor, pelo contato e pela intimidade. A sexualidade é expressada no ato de beijar, interagir e se comunicar. Ela pode — inclusive — impulsionar o ato sexual, mas não estão necessariamente relacionados.

Os fatores sociais também influenciam a forma como a sexualidade é expressa, principalmente no momento da sedução. Os rituais, as culturas e os hábitos atuam em como as pessoas agem quando querem atrair ou seduzir alguém. São as influências políticas, religiosas e culturais, por exemplo, que regulam o que é considerado adequado ou não nessa interação erótica.

Prazer

A sexualidade também está relacionada ao prazer. Cada pessoa sente-se atraída e estimulada por diferentes situações e fatores, sendo uma experiência individualizada. O que gera prazer em uma pessoa pode trazer desconforto para a outra. Essa procura pelo que é prazeroso é constituída pela experimentação e o rompimento de alguns tabus.

Podemos afirmar, portanto, que a sexualidade está presente em todas as fases da nossa vida. Ela é expressada de diferentes maneiras, sendo bastante dinâmica e mutável. Por estar relacionada ao psicológico, acaba sendo vivenciada de maneira individual, tendo implicações diferentes em cada indivíduo.

Enquanto isso, o sexo está relacionado a questões biológicas. Por esse motivo, ele não está presente em todas as fases da nossa vida. Ele é expressado na juventude e na fase adulta, quando a atração física transforma-se em encontros amorosos.

Entender a diferença entre sexo e sexualidade ajuda a compreender a importância de abordar os termos desde a infância. A educação sexual é importante para ajudar o ser humano a entender-se na complexidade do seu todo e sentir-se respeitado e incluído na sociedade. Superar os tabus que limitam ambas as expressões é ir além na abordagem sexual, não resumindo toda a complexidade ao ato em si.

Para você continuar aprendendo mais sobre essas questões, não deixe de acompanhar o nosso perfil no Facebook e no Instagram!